Diocese do Funchal - Ano Pastoral 2018 / 2019 - "Ser Cristão, viver em Missão" Ano Missionário extraordinário: "Todos, tudo e sempre em Missão"

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Santana - Paz à sua alma



Faleceu Ana Marques de Gouveia do sítio do Pico, freguesia e paróquia de Santana. Funeral na próxima quarta-feira 2 de março com Missa de corpo presente às 14:00h na igreja paroquial de Santana. Missa do 7º dia no domingo 6 de março às 11:00h na referida igreja. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN; AM; GP.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

FALECEU O PADRE EDUARDO DE FREITAS NASCIMENTO

FALECEU O PADRE EDUARDO DE FREITAS NASCIMENTO

O Padre EDUARDO DE FREITAS NASCIMENTO, sacerdote diocesano da Diocese do Funchal, faleceu ontem, dia 18 de Fevereiro, ao início da noite. Tinha 86 anos de idade, e era natural da freguesia e concelho de Santana. Nasceu no dia 09 de Outubro de 1929, era filho de Damião Freitas Nascimento e de Efigénia Freitas Jardim. Foi batizado no dia 26 de Outubro de 1929 e confirmado a 27 de Abril de 1939. Depois do percurso formativo no Seminário foi ordenado diácono a 26 de Maio de 1956 e Sacerdote, no dia 22 de Setembro do mesmo ano.
Dentro dos serviços eclesiásticos que desempenhou, na Diocese do Funchal, destacamos os seguintes:
- Coadjutor da Paróquia de Santa Cruz:
de Novembro de 1956 a Dezembro de 1960.
- Pároco da Paróquia do Piquinho e da Paróquia das Preces:
de Dezembro de 1960 a Outubro de 1970.
- Pároco da Paróquia de São Martinho e da Paróquia da Nazaré:
de Outubro de 1970 a Setembro de 1989.
- Pároco da Paróquia do Campanário:
de Setembro de 1989 a Setembro de 1992.
- Pároco da Paróquia de São Roque:
de Setembro de 1992 a Setembro de 2001.
- Pároco da Paróquia do Arco da Calheta e Paróquia do Loreto:
de Setembro de 2001 a Setembro de 2008.
A sua vida no seguimento de Jesus Cristo, no alegre anúncio do Evangelho, deixou em todas as paróquias onde exerceu o seu ministério um testemunho de pastor e de fidelidade à Igreja, nomeadamente no cuidado espiritual e pastoral dos fiéis que lhe estavam confiados. Igual testemunho no acompanhamento dos militares, durante o tempo em que desenhou as funções de Capelão do Exército, na Zona Militar da Madeira.
A Diocese agradece o testemunho da sua vida entregue no serviço presbiteral à Igreja e a dedicação de pastor ao Povo de Deus.
Que o Senhor o receba na Sua Paz!
Secretaria Episcopal, 19 de Fevereiro de 2016

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Santana - Paz à sua alma



Faleceu Manuel Leonardo de Ornelas do Pico Tanoeiro, freguesia e paróquia de Santana. Funeral no próximo domingo 21 de fevereiro com missa de corpo presente às 15:00h na igreja paroquial de Santana. Missa do 7º dia na quarta-feira feira 24 de fevereiro às 18:00h na referida igreja. Tem Confraria de Santa Ana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN; AM; GP.

Santana - Paz à sua alma



Faleceu (na França) Agostinho Dias da Silva do sítio da Igreja, freguesia e paróquia de Santana. Funeral na próxima quinta-feira, 25 de fevereiro com missa de corpo presente às 14:00h na igreja paroquial de Santana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN; AM; GP.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Santana - Paz à sua alma



Faleceu Ana Marques da Silva do sítio da Igreja, freguesia e paróquia de Santana. Funeral neste sábado 13 de fevereiro com missa de corpo presente às 13:00h na igreja paroquial de Santana. Missa do 7º dia 5ª feira, 18 de fevereiro às 8:00h na referida igreja. Tem Confraria de Santa Ana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN; AM; GP.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

MENSAGEM DA QUARESMA DO SR BISPO DO FUNCHAL

MENSAGEM DA QUARESMA DO BISPO DO FUNCHAL



Mensagem de D. António Carrilho, Bispo do Funchal, para a Quaresma de 2016
 
 

Aprender a misericórdia com Deus misericordioso

Estamos a viver o Ano Santo da Misericórdia e toda a Igreja se prepara para celebrar a grande Festa da Páscoa, percorrendo o caminho dos quarenta dias da Quaresma. Como diz o Papa Francisco, a Quaresma deste ano deve ser vivida mais intensamente, como tempo forte de celebrar e experimentar a misericórdia de Deus.
A Quaresma é um tempo favorável, o centro e o núcleo do Ano Jubilar, para saborearmos o grande amor de Deus por nós, para reavivarmos o que somos, filhos amados de Deus. É um tempo favorável para realizarmos a peregrinação espiritual a que somos convidados, para passarmos do pecado à vida da graça, do desânimo à feliz certeza da presença de Deus em nós, da indiferença à ousadia da ação e dos gestos de misericórdia.
Aprender a misericórdia através da oração
Somos convidados a viver intensamente este tempo favorável de conversão e o Ano Jubilar como caminho de voltar para Deus com todo o nosso coração e aprender d’Ele a Misericórdia, através da oração e da escuta atenta da Sua Palavra.
O tempo da Quaresma, com a sua peculiar espiritualidade, pode ajudar-nos na aprendizagem de um coração misericordioso: sem oração não teremos o coração de Deus; sem diálogo com Ele, sem abertura ao divino, dificilmente veremos o mundo com o olhar de bondade, de mansidão e paciência de Deus.
Só através da oração o homem humilde se abre à relação com Deus e cresce na sua atenção para com o próximo. Na verdade, descobrir Deus como Pai, rico de misericórdia, é descobrir-se irmão em relação aos outros. Saibamos, pois, descobrir formas de nos colocarmos em contacto com a Sagrada Escritura, em especial com as parábolas da misericórdia, com os gestos e encontros de Jesus, que transformam a vida e o coração dos que se deixam tocar por Ele.
Possam os pais ensinar os filhos a rezar e rezar com eles. Como principais responsáveis e educadores da fé dos filhos, saibam os pais transmitir-lhes os valores mais importantes para o seu crescimento e para a sua integração e participação na sociedade, sem esquecer o valor da própria fé. Esta muito contribuirá para formar adultos responsáveis, com corações atentos a Deus que fala, nos inquieta e desafia a irmos mais longe, também na atenção e escuta do nosso próximo, dos outros nossos irmãos.
Aprender a misericórdia através da Reconciliação
O Ano Santo e a Quaresma constituem uma grande oportunidade para aprendermos a ser misericordiosos, na medida em que cada um de nós sentir a misericórdia de Deus, através da Reconciliação. Quantos cristãos vivem afastados da fonte do perdão e da misericórdia, que nos são dados pelo Sacramento da Reconciliação, longe da experiência que nos liberta daquilo que nos impede de ser mais e de ir mais longe.
Seremos, pois, mais misericordiosos se sentirmos na própria existência o Pai que tudo perdoa e perdoa sempre. Peço aos sacerdotes que procurem formar os cristãos para o Sacramento da Reconciliação, criar horários e, se possível, maior disponibilidade, para que o povo de Deus possa facilmente manter proximidade com a Sua Palavra e celebrar a Reconciliação. Num confessionário o sacerdote não perde o seu tempo, mas converte-se ele mesmo na imagem de Deus que aguarda, que espera, é paciente e nos ama sem medida. Reconciliados com Deus, também nós seremos mais reconciliadores em cada gesto, em cada palavra, em cada nova atitude construtora de paz.
Aprender a misericórdia através da caridade
O caminho que nos leva à Páscoa é também o caminho que desperta em nós um coração mais próximo dos outros, mais atento e sensível às necessidades dos irmãos. Neste tempo, em especial, a Igreja ensina-nos o valor da caridade, do dar cada um algo de si mesmo e do que é seu: sair do egoísmo e da indiferença, caminhar mais para Deus e para os outros.
Neste Ano Jubilar somos desafiados a refletir sobre as obras de misericórdia corporais e espirituais e a trazê-las para os gestos e atitudes da nossa vida quotidiana. Como escreve o Papa Francisco na sua Mensagem para a Quaresma deste ano: “A nossa fé traduz-se em atos concretos e quotidianos, destinados a ajudar o nosso próximo no corpo e no espírito (…) Será uma maneira de acordar a nossa consciência, muitas vezes adormecida perante o drama da pobreza, e de entrar cada vez mais no coração do Evangelho”.
E acrescenta: “Se, por meio das obras (de misericórdia) corporais, tocamos a carne de Cristo nos irmãos e irmãs necessitados de ser nutridos, vestidos, alojados, visitados, as obras espirituais tocam mais diretamente o nosso ser de pecadores: aconselhar, ensinar, perdoar, admoestar, rezar. Por isso, as obras corporais e as espirituais nunca devem ser separadas” (n.3).
Tendo em atenção os múltiplos apelos do Papa e de alguns Bispos do Médio Oriente, perante a situação angustiante em que se encontram milhares de cristãos, expulsos de suas casas e impedidos de professar e celebrar livremente a sua fé, a Diocese do Funchal, através da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), encaminha a Renúncia da Quaresma deste ano de 2016 para ajudar os cristãos perseguidos, em especial no Iraque e na Síria.
As ofertas desta Renúncia Quaresmal serão recolhidas, em todas as igrejas e capelas, nos ofertórios das missas dos dias 19 e 20 de março, sábado e Domingo de Ramos. Como sempre, a participação é muito livre, segundo as possibilidades e a consciência pessoal dos fiéis, na certeza de que Deus não deixará sem recompensa qualquer gesto de atenção e partilha fraterna.
Aprender a misericórdia com a Virgem Maria
No início da Quaresma receberemos a visita da Imagem Peregrina da Virgem de Fátima, integrada na preparação do centenário das aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos, na Cova da Iria. Toda a Mensagem de Fátima é um convite à oração, à conversão, à perseverança no bem, a deixar o pecado, a aproximar-se de Deus com todo o coração.
Que Nossa Senhora nos ajude a viver um santo tempo da Quaresma, na alegria de caminhar para a Páscoa com um coração renovado, com um coração generoso, disponível e humilde como Maria, a Mãe de Deus, com um coração rico em misericórdia. E com o Santo Padre também nós dizemos: “Não percamos este tempo de Quaresma favorável à conversão!” (Mensagem, 3).
 
Funchal, 10 de Fevereiro de 2016
†António Carrilho, Bispo do Funchal

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Nota sobre a Renúncia da Quaresma - Ajuda aos cristãos perseguidos do Médio Oriente

Nota sobre a Renúncia da Quaresma - Ajuda aos cristãos perseguidos do Médio Oriente



Diocese do Funchal
Renúncia da Quaresma 2016
 
Por ocasião da apresentação do relatório ‘Perseguidos e Esquecidos?’, sobre a perseguição aos cristãos no mundo, o Papa Francisco, através da Secretaria de Estado enviou uma mensagem à Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), com os votos de que “os homens e as mulheres de fé e de boa vontade possam mostrar o apoio aos seus irmãos e irmãs que sofrem em todo o mundo, oferecendo assistência espiritual e material”.
Num apelo dirigido à AIS, o patriarca dos Católicos Caldeus e presidente da Conferência Episcopal do Iraque, D. Louis Sako, e o patriarca da Igreja Greco-Católica de Antioquia e de todo o Oriente, D. Gregorios III Laham, descrevem a “situação angustiante em que se encontram milhares de cristãos expulsos de suas casas, empurrados para campos de refugiados, sem qualquer expectativa de poderem regressar às suas casas, e já sem esperança de que a guerra tenha um fim”. “Aquilo que vos pedimos agora é a misericórdia. Rezem e jejuem para que o Senhor tenha misericórdia de nós”, realça D. Louis Sako.
Assim, a Fundação Ajuda a Igreja que Sofre (AIS) promoveu nesta Quarta-feira de Cinzas, uma jornada de “jejum e oração pelos cristãos perseguidos no Médio Oriente”. Esta organização católica destaca a importância de começar a Quaresma a rezar por todos aqueles que vivem em “países mergulhados no caos, na guerra e no sofrimento”, em particular “no Iraque e na Síria”.
O Papa Francisco, na bula da Misericórdia, perante o sofrimento humano afirma: “Abramos os nossos olhos para ver as misérias do mundo, as feridas de tantos irmãos e irmãs, privados da própria dignidade, e sintamo-nos desafiados a escutar o seu grito de ajuda. As nossas mãos apertem as suas mãos e estreitemo-los a nós para que sintam o calor da nossa presença, da amizade e da fraternidade”.
A Diocese do Funchal não pode ficar indiferente a este apelo e, à semelhança de outras Dioceses, encaminha a Renúncia da Quaresma deste ano 2016, através da Fundação AIS, para ajudar os cristãos perseguidos no Médio Oriente, em especial no Iraque e na Síria.
As ofertas desta Renúncia Quaresmal serão recolhidas em todas as igrejas e capelas nos ofertórios das missas dos dias 19 e 20 de março, sábado e Domingo de Ramos. Como sempre, a participação é muito livre, segundo as possibilidades e a consciência pessoal dos fiéis, na certeza de que Deus não deixará sem recompensa qualquer gesto de atenção e partilha fraterna.

Funchal, 10 de fevereiro de 2016
Secretaria Episcopal do Funchal

Bispo do Funchal celebra Quarta-feira de cinzas


Bispo do Funchal celebra Quarta-feira de cinzas



O bispo do Funchal apelou hoje à efetiva conversão quanto aos estilos de vida a "nível pessoal, social e eclesial". D. António Carrilho presidiu esta tarde, na Sé, à celebração de Quarta Feira de Cinzas, que dá início ao tempo litúrgico da Quaresma.
Na homilia, anunciou que a "renúncia quaresmal" na diocese destina-se, este ano, a “ajudar os cristãos perseguidos no Médio Oriente, em especial no Iraque e na Síria. As ofertas desta renúncia quaresmal serão recolhidas em todas as igrejas e capelas nos ofertórios das missas dos dias 19 e 20 de março, sábado e Domingo de Ramos”.
Na sua mensagem, falou do essencial da “caminhada quaresmal” como “tempo de graça e de conversão comunitária” que, em pleno “Ano da Misericórdia”, “é também o caminho que desperta em nós um coração mais próximo dos outros, mais atento e sensível às necessidades dos irmãos. Neste tempo, em especial, a Igreja ensina-nos o valor da caridade, do dar cada um algo de si mesmo; a Quaresma é uma oportunidade para meditar a fé e a caridade, com mais solidariedade, justiça e alegria; como diz São Tiago, a fé sem obras é morta” sublinhou D. António nesta missa de Quarta Feira de Cinzas que incluiu ainda a tradicional "bênção e imposição das cinzas" aos fiéis presentes. “O rito e a imposição das cinzas não são gestos exteriores de mera tradição, mas compromisso interior exigente”, acrescentou. Pelo que neste tempo favorável de preparação para a Páscoa “é urgente parar, fazer silêncio, interiorizar a mensagem ao ritmo do coração de Jesus”, disse o bispo do Funchal.
No final, lembrou a próxima visita da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à nossa diocese, onde ficará durante três semanas, entre o dia 12 de fevereiro e o dia 6 de março. A chegada ao Aeroporto está prevista para as 18 horas do próximo sábado; e o acolhimento solene no Largo do Colégio, às 19h30, seguido de procissão das velas até à Sé. 

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Santana - Paz à sua alma



Faleceu Maria Isabel Rodrigues da Achada da Cruz, freguesia e paróquia de Santana. Funeral nesta quinta-feira 4 de fevereiro com missa de corpo presente às 14:00h na igreja paroquial de Santana. Missa do 7º dia na terça-feira 9 de fevereiro às 18:00h na referida igreja. Tem Confraria de Santa Ana. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN; AM; GP.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Santana - Paz à sua alma



Faleceu Maria dos Santos Freitas do Serrado, freguesia e paróquia de Santana. Funeral nesta terça-feira 2 de fevereiro com missa de corpo presente às 14:00h na igreja paroquial de Santana. Tem Confrarias de Santa Ana e do Santíssimo Sacramento. Missa do 7º dia no próximo sábado 6 de fevereiro às 18:00h na referida igreja. Rezemos pelo seu eterno descanso. PN; AM; GP.

Rezar cantando

Alguma música

O tempo em Santana